Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2014

MAUÁ NA AV. CONTORNO, 1968

Esta imagem é uma relíquia de 1968, do acervo do portal Barreto On Line, e mostra a Av. do Contorno, oficialmente denominada Av. Governador Roberto Silveira - não confundir com a Av. Roberto Silveira que existe em Icaraí - , e que liga o Centro de Niterói ao Barreto e a São Gonçalo, através do bairro São Lourenço (onde fica a avenida).

Nessa época não existia ainda a Niterói-Manilha - ela só surgiria duas décadas depois - , mas a antiga praia de Pitá. Na Av. do Contorno, destaca-se um ônibus da Viação Mauá, conhecida pela então linha 111 (atual 143M), que a empresa opera até hoje ligando os centros de Niterói e São Gonçalo. O ônibus aparece no detalhe, na outra imagem.



CAMPANHA ANTI-PARLAMENTARISMO DE 1962

Entre 1961 e 1963, o Brasil viveu sob um regime parlamentarista. Foi a solução para resolver a crise política causada pela renúncia, em 25.08.1961 (data que os busólogos cariocas conhecem como o surgimento da Auto Viação Alpha), do então presidente da República Jânio Quadros, uma vez que seu sucessor constitucional, o vice João Goulart, era um político hostilizado pela direita brasileira. Desta forma, para tentar domar o gaúcho, segundo o raciocínio da direita, o governo seria entregue a um chefe que era o presidente do Conselho de Ministros, ou seja, o Primeiro-Ministro.

Foram três os Primeiros-Ministros da fase parlamentarista do governo Jango. O primeiro foi Tancredo Neves (o mesmo ministro da Justiça de Vargas nos anos 50 e que foi escolhido presidente da República na redemocratização, mas adoeceu e faleceu sem assumir o cargo). Depois veio os juristas Brochado da Rocha, gaúcho, e Hermes Lima, baiano, ambos no decorrer de 1962.

Houve a campanha pela volta do presidencialismo, com …

RODOVIÁRIA DE ARACAJU

Esta foto, do acervo do Toffobus, mostra a rodoviária da capital sergipana, no ano de 1973.



PORTO ALEGRE, EM 1961

Vemos aqui a Av. Vinte e Quatro de Outubro, em Porto Alegre, nos tempos em que Leonel Brizola era personagem político em evidência no Estado (ele só mudaria seu domicílio eleitoral em 1964, na Guanabara, mas com a cassação de seus direitos políticos e o exílio só pôde ele usufruir desses direitos quinze anos depois). Foi Brizola que promoveu então a Campanha pela Legalidade para garantir a posse de João Goulart.



SANTA MARIA

Esse lotação, nesta foto bem antiga, corresponde aos primórdios da empresa carioca Transportes Santa Maria. A empresa atualmente não é vista no centro carioca, mas chegou a operar a linha 249 Água Santa / Tiradentes (atual Água Santa / Carioca), entre o final dos anos 70 e a primeira metade dos 80. Atualmente a 249 está com a Matias.

A Santa Maria, por sua vez, atende as regiões de Jacarepaguá, Madureira e Barra da Tijuca, além de linhas para a Penha. Chegou a ter uma subsidiária, a Santur, mas hoje esta foi absorvida pela mãe, até porque o nome "Santa Maria Turismo" não nos engana (risos). Mas a Santa Maria é uma excelente empresa, seus funcionários são gentis com os busólogos e seus ônibus, em frota conservada e renovada e linhas bem servidas, foram até cedidos para excursões busófilas pelo Rio de Janeiro.

Atualmente a empresa anda muito castigada com o fardamento da Prefeitura do Rio de Janeiro.

METROPOLITANA ELDORADO

Mais uma foto do exótico modelo da Metropolitana Eldorado, do ano de 1960. A empresa não está creditada.


ELIZIÁRIO

Essa foto, extraída do portal Que Barato, mostra um ônibus das Carrocerias Eliziário, ano 1961, em bom estado de conservação. Foto tirada em Marau, no Rio Grande do Sul, sem crédito de autoria.


JUNEL S/A TRANSPORTE E TURISMO

Essa foto mostra a empresa de ônibus Junel, da Baixada Fluminense, que tinha a "capelinha" como enfeite, nela colocando não o número da linha, mas o galo que era símbolo da empresa.


TROLEBUS DE SÃO PAULO COMEMORA 65 ANOS

Aqui vai uma homenagem do Classical Buses aos 65 anos dos trolebuses de São Paulo, garimpando uma foto antiga do acervo do Marcelo Almirante, mostrando a primeira linha de trolebus do Brasil, implantado na capital paulista, ligando o bairro da Aclimação à Praça João Mendes, localizada no centro.

RIO DE JANEIRO: AV. PRES. VARGAS, EM 1961

Publicamos mais uma foto da famosa avenida carioca, de origem polêmica (para sua construção, bairros inteiros e até igrejas deveriam ser destruídos - só restou a Igreja da Candelária e parte da Praça da República, entre alguns logradouros mutilados), só que no registro de 1961 pelo jornal O Globo.

A foto é tirada no trecho da Cidade Nova e Praça Onze, que também tinham muitas casas populares que depois foram também demolidas. Dois ônibus aparecem para os busólogos comentarem, o mais próximo de nossos olhos é um monobloco Mercedes-Benz O-321, de 1958, conhecido popularmente como "bicudinho".


INTERMUNICIPAL

Publicamos uma foto antiga da empresa Intermunicipal, de Duque de Caxias, possivelmente de 1966. O modelo é um urbano Metropolitana 1965, na sua versão com motor traseiro. Durante anos a especialidade da empresa foi comprar carros com motor traseiro.

Mas, em seu retorno, a empresa, que havia entrado em falência devido a uma crise financeira, por fazer parte do grupo empresarial da Fábio's e da carioca Gire, a princípio circula com carros semi-novos que foram das outras duas empresas.




CABUSSU

Essa montagem reconstitutiva nos faz recordar da extinta Cabussu, que também era freguesa da Marcopolo, tendo pego quase toda a série Veneza, exceto o modelo 1981 da Veneza II. Aqui vemos a Veneza II original, de 1977. Crédito original de Antônio Augusto, do Ponto de Ônibus, montagem feita por mim (A. F.).


PENDOTIBA

Através desta foto-montagem, reconstituímos o visual da Viação Pendotiba na virada dos anos 70 para os 80, com o logotipo em formato "folhinha", similar ao da Viação Fortaleza, e o número sob a "saia". As portas só tinham os vidros superiores.


CAIO BELA VISTA

Esta foto de 1973, publicada na revista Manchete, foi incluída numa reportagem sobre ônibus da referida publicação. Eu chamava esse ônibus de "Caio do trapézio", por causa da máscara da carroceria, e esse modelo foi adquirido por várias empresas do país, e a carioca Madureira Candelária, a niteroiense Brasília e a gonçalense Galo Branco, estão entre os destaques no atual território fluminense (então dividido entre o Estado do Rio de Janeiro e o município, que constituía o Estado da Guanabara).

Aliás, vi um desenho da Galo Branco que parecia ter alguma semelhança com esta pintura (mas com cores diferentes, entre o rosa claro, amarelo claro e verde com fundo central cinza), e o logotipo da empresa era em formato "saloon". Cheguei a ver vários carros dessa empresa, da frota municipal, circulando pela rodovia RJ-104, altura de Colubandê, quando eu passeava com minha família, lá pelos idos de 1974.



RIO DE JANEIRO: AEROPORTO DO GALEÃO, 1956

Agora vamos mostrar a foto de 1956 que foi publicada na Enciclopédia dos Municípios Brasileiros do IBGE, com o então modesto Aeroporto do Galeão - que não era chamado de Aeroporto Tom Jobim, embora o referido músico já começava a fazer sucesso na época, com a trilha de Orfeu da Conceição feita com Vinícius de Moraes - vivendo os últimos tempos de imponência como um dos lugares principais de uma capital federal.


RIO DE JANEIRO: ESTRADA DO GALEÃO, 1950

Esta foto mostra a então tranquila Estrada do Galeão, no ano de 1950, onde hoje tem um trânsito bem movimentado, em virtude de ligar a Ilha do Governador à Ilha do Fundão, ao Aeroporto Internacional do Galeão (atual Aeroporto Antônio Carlos Jobim) e à Zona Norte do Rio de Janeiro - que na época, sabemos, ostentava o status de Distrito Federal - e pelo fato de termos muito mais veículos do que outrora.


RIO DE JANEIRO, COPACABANA: RUA BARATA RIBEIRO, 1965

Esta foto, extraída do portal Skyscrapercity, mostra outro trecho do bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro, então Estado da Guanabara, com um movimentado fluxo de carros e ônibus em 1965. Destaca-se um ônibus da extinta linha 416 Usina / Forte, que hoje corresponde, com as devidas diferenças de itinerário, à linha 426 Usina / Jardim de Alah.


RIO DE JANEIRO, COPACABANA: RUA TONELEROS, ESQUINA COM SIQUEIRA CAMPOS

Mais um cacoete da turma do "tanto fez, tanto faz". A foto aqui foi atribuída por um fotolog, "modestamente", aos "anos 60", como se não houvesse diferença cronológica entre 1960 e 1969. Com um pouco de senso de pesquisa, pode-se inferir que a foto foi feita entre 1966 e 1968, mas o nosso palpite fica em torno de 1967.

A foto registra a Rua Toneleros, em Copacabana, na cidade do Rio de Janeiro, então no Estado da Guanabara. O trecho da rua fica na esquina com a Rua Siqueira Campos, próximo à área que hoje tem uma das mais recentes estações do metrô.


SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO, 1971

Já esta foto, escaneada para um portal de vendas pela Internet, mostra uma outra foto do Salão do Automóvel de São Paulo, desta vez no pavilhão do Anhembi, em 1971.


SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO, EM 1961

Esta foto, extraída do site www.jornauto.com.br, mostra o Salão do Automóvel de São Paulo, no Parque do Ibirapuera, em 1961. Se bem que este evento parece mais feira do que salão. Desde 1970, no entanto, o evento é realizado no Anhembi.





CARRO ALEGÓRICO HOMENAGEAVA LINHA DE ÔNIBUS

Em outra foto de 1961, extraída do site da Fundação Joaquim Nabuco, vemos um carro alegórico do carnaval de Recife (PE) daquele ano. O carro homenageava a criação de uma linha de ônibus ligando o bairro recifense de Fundão ao subúrbio da mesma cidade.



BANDEIRANTES - ANTIGO NOME DA VILA ISABEL

Foto de dia chuvoso na antiga Guanabara, provavelmente em 1965. O ônibus que vemos é uma carroceria em cima de uma máscara da Mercedes-Benz, e a linha é bem conhecida de nós. Pois trata-se da linha 438 Barão de Drumond / Leblon (hoje a nomenclatura mudou para "Vila Isabel / Leblon", mas dá no mesmo). A empresa é a Bandeirantes Auto Ônibus S/A, antigo nome da Transportes Vila Isabel, conhecida hoje pelo seu visual tomatinho que se excetua nos ônibus com ar condicionado, que tem uma tarja amarela-clara no meio.

A foto foi extraída de fotografia vendida nas bancas e que, digitalizada, faz parte do acervo do Sydney Júnior, o busólogo colecionador que organiza a CIA de Ônibus.



MAIS CARNAVAL CARIOCA DE 1942

Outra foto do acervo da Time-Life, desta vez mostrando um outro carro alegórico passando pela Av. Rio Branco, em 1942, no sentido inverso ao do atual. No fundo, está a Biblioteca Nacional e diante dela um ônibus da antiga linha 5 Praça Mauá / Leme, cujo ramal hoje, com as devidas alterações (não existia Aterro do Flamengo, então) é atendido pela linha 190 Rodoviária / Leme, da Real.


CARNAVAL CARIOCA DE 1942

O carnaval carioca já passou, mas vale mostrar registros antigos da folia, pela sua importância histórica.

Nesta foto, foliões vibram nos carros alegóricos que passam pela Av. Beira-Mar no ano de 1942. Era a época do New Deal, projeto político do presidente norte-americano Franklin Roosevelt conhecido por nós como Política da Boa Vizinhança. Vendo que, com a Segunda Guerra Mundial, o capitalismo norte-americano estaria comprometido com a perda da demanda européia (que vivia a ameaça de ser completamente dominada pelo nazi-fascismo), o governo dos EUA lançou uma política de aparente cooperação com a América Latina. Ela resultou na implantação ou no crescimento de produtos ou empresas dos EUA que existem até hoje, como a Coca-Cola, a revista Seleções (edição de língua portuguesa do Reader's Digest), Esso e outras.

Nessa época, a revista Time fez uma reportagem sobre o carnaval carioca e fez registros como esta foto que vemos aqui em sua impressionante qualidade de cores para a época…

CURITIBA, EM 1956

Esta foto, da Enciclopédia dos Municípios Brasileiros do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), como sabemos uma valiosa série de livros lançada entre 1958 e 1959 (com edições retrospectivas lançadas entre 1964 e 1966), mostra uma vista aérea de Curitiba, registrada provavelmente em 1956, época de coleta de material para a série.



RIO DE JANEIRO, PRAÇA TIRADENTES, 1959

No antigo Distrito Federal, o nosso famosíssimo município do Rio de Janeiro, a Praça Tiradentes já era movimentada, com menos ônibus, menos linhas de ônibus e menos automóveis que hoje. Há cinquenta anos atrás, o Rio de Janeiro já mostrava-se pequeno para ser uma capital federal, enquanto Brasília estava com as obras a pleno vapor.

As fotos que vemos são do filme "Mulheres à vista", de J. B. Tanko (que os mais jovens conhecem como diretor de vários filmes dos Trapalhões), chanchada produzida em 1959, produzida pelo estúdio Herbert Richers e protagonizada por Zé Trindade. As tomadas foram feitas na Praça Tiradentes, e vemos nas cenas alguns ônibus, lotações e bondes.

A Praça Tiradentes, até pouco tempo atrás, serviu de ponto final para linhas provenientes da Praça Seca, Penha, Realengo, Padre Miguel e Pavuna, além de ter sido parada de linhas circulares destinadas à praça, e de outras linhas passantes.

Hoje as linhas foram distribuídas para outros pontos, como Praça da Repúbl…

AV. AMARAL PEIXOTO, EM NITERÓI, EM 1954

Esta foto, do acervo de Edgard Bessa, mostra o pai dele em 1954, num táxi típico daquela época. O taxista se encontrava na Av. Amaral Peixoto, no Centro de Niterói, quando a avenida tinha duas mãos. Nota-se, parado, numa certa distância, um trolebus da SERVE, empresa estatal que fez história na cidade.

A foto foi extraída do blogue Esperando Passageiro - http://esperando.passageiro.zip.net/.


LEBLON

Esta foto montagem reconstitui a Auto Viação Leblon quando começava a circular pela Ponte Rio-Niterói, explorando as linhas 995, 996, 998 e 999, que ligavam, respectivamente, Fundão, Gávea, Galeão e Lapa ao Canto do Rio, no final da Rua Geraldo Martins, esquina da Av. Ari Parreiras, em Niterói. Naquela época não estava estabelecida a ligação por ônibus para Charitas, até porque ainda não existiam o túnel Raul Veiga e o túnel Roberto Silveira era a única ligação entre Icaraí e São Francisco.

A Leblon também serviu a linha de Barreto para São Cristóvão, que acompanhei pessoalmente. As linhas para o Canto do Rio (depois remanejadas, aos poucos, para Charitas, sendo a última a 998) foram para a CTC-RJ e a atual 702D está com a Auto Viação ABC, que preferiu priorizar, nos últimos anos, um outro ramal, que em vez de ir ao Barreto, vai para o Terminal João Goulart.


RIO DE JANEIRO, GOLPE MILITAR DE 1964, HÁ 50 ANOS

Os transportes que mostramos aqui não merecem muita simpatia. Mas se trata, inegavelmente, de um momento histórico, em que tropas do general mineiro Olímpio Mourão Filho, sob ordens do governador Magalhães Pinto, adiantou todo o clamor golpista e pôs em prática o que muitos generais, almirantes e brigadeiros já estavam discutindo, que era a deposição do governo democrático de João Goulart.

É bom deixar claro que o golpe militar se deu no Primeiro de Abril, há exatos 50 anos. Mas o Golpe de 1964, que durante muitos anos foi denominado "Revolução de 1964", dado tanto ao golpe quanto aos governos ditatoriais que dele surgiram, é atribuído ao dia 31 de Março para não gerar trocadilhos jocosos com o Dia da Mentira. Até porque as Forças Armadas já davam sua mentira, dizendo que estavam promovendo uma "revolução democrática" no Brasil.

Foto do acervo da Agência O Globo.