Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2014

BRASÍLIA EM 1959

Esta foto, extraída do DFTrans, mostra que a primeira linha de ônibus de Brasília já existia antes de sua inauguração. A linha "Cidade Livre - Palácio da Alvorada" atendia aos calangos que moravam na Cidade Livre, embrião das chamadas "cidades-satélites", que é o nome como são conhecidos os bairros da atual capital do país. A linha, que aparece aqui num acidente de ônibus, da carroceria Grassi, foi inaugurada em 1959. O ônibus aqui aparece numa ocorrência de um acidente ocorrido na época.



SALVADOR, EM 1959

Prosseguindo a comemoração dos 465 anos de Salvador, mostramos uma foto da capital baiana em 1959, quando a Praça da Sé tinha um terminal de ônibus e os veículos em geral tinham acesso até o Terreiro de Jesus. Hoje a Praça da Sé está modernizada (no mesmo estilo da Praça XV do Rio de Janeiro da fase "mergulhão") e os ônibus foram jogados para retornar pela rua próxima à igreja do Senhor dos Passos, na altura da Praça Municipal e do acesso para a Barroquinha.

É uma das raras fotos com ônibus soteropolitanos em épocas bem antigas, porque Salvador tem sua peculiaridade, para o bem e para o mal. A busologia é recente, dos anos 90 para cá, e a maior parte do acervo busólogo com empresas de ônibus identificadas vai dos anos 80 em diante (os cariocas, em compensação, já pescam informações e fotos mais antigas).

Em tempos que o transporte coletivo da capital baiana está uma bosta - ônibus de visual branco, bancos duros, distribuição confusa de empresas em linhas de ônibus por área e…

SALVADOR, EM 1960

Vamos iniciar as comemorações dos 465 anos de Salvador, capital da Bahia e primeira capital do Brasil. Vemos uma foto de 1960, da Praça Municipal, com destaque o Palácio Rio Branco, à esquerda, e o prédio de acesso ao Elevador Lacerda, que dá acesso à Cidade Baixa, na altura da Conceição da Praia, área vizinha ao Comércio.

Na Praça Municipal, nota-se também a passagem de um ônibus na entrada do Elevador Lacerda, numa área que hoje está toda ocupada pela praça.

ARAÇATUBA

Essa foto é do acervo do busólogo Leonardo Branco, e mostra uma grande relíquia. Trata-se da foto mais antiga da Viação Araçatuba, de Niterói, hoje castigada pelo fardamento da Prefeitura. Só que a Araçatuba, nessa época, tinha outra sede, São Gonçalo, e servia a linha que liga Niterói a Covanca, embrião da atual linha 444M.

A foto é provavelmente de 1962.


TERMINAL DE ÔNIBUS DE FORTALEZA

Foto do acervo de Paulo Queiroz Marques mostra o terminal de ônibus da capital cearense, no ano de 1971.

ÔNIBUS DE CUIABÁ

Fotos extraídas do site Trânsito Cuiabá mostram o primeiro ônibus que operou na capital matogrossense, em 1946.


ÔNIBUS DE ERECHIM

Esta foto foi extraída do blog De Olhos e Ouvidos, e mostra um antigo ônibus da cidade de Erechim (RS), em foto de 1952.

Atualmente a cidade gaúcha é sede da indústria Comil (antiga Incasel).

ÁGUIA BRANCA

Esses ônibus são da famosa empresa capixaba, hoje em plena atividade. A foto do registro é 1956.

RECIFE EM 1957

Agora temos uma foto de 1957, do acervo do membro Ewaldo do Portal Skyscrapercity, da Matriz de Santo Antônio, situada nos arredores da capital pernambucana. Passei por perto daí, de ônibus urbano, em 2006.


ORFEU NEGRO

O filme, de Marcel Camus, irmão do famoso filósofo franco-argelino Albert Camus, é uma adaptação da peça "Orfeu da Conceição", por sua vez uma outra adaptação, do poeta Vinícius de Morais, da peça grega "Orfeu e Eurídice". Por ter sido uma produção estrangeira, de 1959, a geração de cinéfilos brasileiros que viria a formar o movimento Cinema Novo só viu uma versão brasileira da peça em 1999, com "Orfeu", de Cacá Diegues, com Patrícia França e Toni Garrido como o casal protagonista.

A foto em questão é do filme de Camus, e aqui aparece um ônibus que estaciona num ponto para o embarque e desembarque de passageiros. Que empresa de ônibus é esta, e qual sua provável linha? O bairro não seria o do Castelo?

VIAÇÃO RAMOS

Este lotação de uma extinta empresa niteroiense circulava pela linha 47 Canto do Rio / Centro. A empresa deve ter existido em 1960, embora não tenha sido creditada na lista publicada pelo Marcelo Almirante. Atualmente a linha 47 é operada pela Viação Araçatuba, empresa que já existia em 1965, mas servia linhas gonçalenses.

Hoje em dia, circulam ônibus com ar condicionado na linha.

PATOS DE MINAS

Esta foto, do acervo de Adamo Bazani e divulgada no blog do jornalista Milton Jung (Rede CBN), mostra um ônibus que foi um dos primeiros da frota do empresário de ônibus mineiro Balthazar José da Silva, que na foto aparece de gravata. Não é creditada informação sobre o ano da foto e o ônibus, mas tudo indica que a foto do ônibus de Patos de Minas é de 1964, e o modelo é o nosso conhecido Papo Amarelo, da Ciferal, provavelmente do ano anterior.

METROPOLITANA IPANEMA, COM DESIGN DE MOACIR RAMOS

Falamos sobre o busófilo Moacir Ramos, famoso no meio por suas belas pinturas de ônibus nos anos 70 e 80. Pois ele também embelezou os ônibus da Metropolitana Ipanema em suas mostras de lançamento.

Note que as pinturas das três fotos foram aproveitadas, respectivamente, pelas empresas fluminenses Tenente Jardim (embora Moacir tenha dito que a inspiração foi parcial) e Ponte Coberta, da primeira, a carioca Glória, da segunda, e a também fluminense Luxor, da terceira. Com exceção da Ponte Coberta (hoje do grupo Flores), as demais são extintas.

A primeira foto foi por mim restaurada.



MANAUS: ÔNIBUS ZEPELIM, 1957

Hilária foto de 1957 extraída do site Carros Antigos, que mostra um ônibus com formato de "ovo", conhecido também como "ônibus Zepelim" pela alusão ao famoso veículo aéreo, da Viação Triunfo, circulando pelas ruas da capital amazonense.


FLUMINENSE

A primeira foto com um ônibus da Viação Fluminense é uma montagem reconstitutiva, de um modelo que a empresa teve nos anos 60 e parte dos 70. A Viação Fluminense foi uma das tradicionais empresas niteroienses, responsável sobretudo pela linha 21 Fonseca / Centro, que já era servida por ônibus com motor traseiro, tradição de alguma forma seguida até hoje pela Auto Lotação Ingá. A Ingá absorveu a Viação Fluminense nos anos 70, mas eu e meu irmão Marcelo Pereira (Niterói Coletivo) pudemos acompanhar os últimos anos da Viação Fluminense, que não tinha mais o desenho da foto que aqui vemos, mas uma combinação de fundo branco com linhas marrom.

A Viação Fluminense também havia absorvido a 22 Fonseca / Centro (via Jansen), da antiga Viação Fonseca. A 22 foi servida com muitos carros com motor traseiro, primeiro os da Mercedes-Benz 321 e depois 352, e em seguida pelos carros da CAIO Bela Vista 1973, apelidado de "máscara negra", em cuja concepção com motor traseiro tinh…

SANTA LUZIA

Foto de 1967 mostra a empresa Santa Luzia, da cidade de Juiz de Fora, com modelo CAIO Jaraguá 1966, tendo atrás dele um ônibus provavelmente da Cermava 1964. Os ônibus estão parados num ponto de ônibus provavelmente no centro da capital mineira.

BONDE E ÔNIBUS EM SÃO PAULO

Vemos aqui, numa foto de 1953, um bonde do ramal "Casa Verde - Vila Maria", ao lado do ônibus da antiga linha 74 Casa Verde / Centro, no bairro de Casa Verde, em São Paulo (SP). Os veículos estavam na ocasião na Rua Casa Verde, que atualmente tem o nome de Rua Bernardino Fanganiello. Foto extraída do site www.ancora.adm.br, na página dedicada ao citado bairro da capital paulista.

COMÍCIO DA CENTRAL DO BRASIL FAZ 50 ANOS

As fotos, de 50 anos atrás, correspondem ao dia 13 de março de 1964, publicadas na imprensa no dia 14. Era uma sexta-feira treze, que acabou dando azar para o país, uma vez que o comício do então presidente da República, João Goulart, diante da estação ferroviária da Central do Brasil, no centro carioca, irritou a direita por prometer levar na prática as temidas reformas de base (que, passado o tempo, não eram muito diferentes do projeto do governo Lula, hoje em dia).

No dia 19, a direita reagiu com a Marcha Deus e Liberdade, no Vale do Anhangabaú, e, no dia 01 de abril - os militares creditam o dia anterior - foi instaurado o golpe militar que gerou a ditadura de lamentável lembrança.

Mas aqui só mostramos as fotos do comício da Central, que, além de ter Jango, Miguel Arraes e Leonel Brizola no evento, tinha também o então líder estudantil José serra, então presidente da UNE, muito distante ideologicamente do hoje governador de São Paulo de perfil conservador.

Na tercei…

SATURIN

Foto de 1949 mostra a empresa de fretamento Saturin, do antigo Distrito Federal (o Rio de Janeiro, como se vê no cenário natural da foto), com um ônibus importado da indústria francesa Chausson. Esses ônibus se tornaram pouco funcionais, por serem lentos e dotados de uma estrutura pesada. A foto é do acervo do busófilo Adalberto Mattera.

ACARI

A empresa carioca Viação Acari é uma das mais conhecidas dos busólogos locais. Sua área de atuação inclui as regiões de Méier, Madureira, Centro e Copacabana. Mas houve um tempo em que a empresa serviu a linha 299 Castelo / Acari, hoje extinta e cujo ramal foi substituído, pelo menos no que diz aos destinos inicial e final, pela 298 da Madureira Candelária.

A Viação Acari fazia juz ao nome, com linha para o bairro de Acari. Mas, atualmente, a empresa não tem mais linha na área, o que não é de todo mal, porque chega a ser uma curiosidade à parte.

Aqui está uma foto da Acari quando servia linha para o bairro homônimo.



PROGRESSO, DE GARANHUNS

Aqui estão duas fotos da Auto Viação Progresso, de Garanhuns (PE), que teve, em 1962, este exótico modelo das Carrocerias Tude. A propósito, Tude se refere ao fundador da empresa, João Evangelista Tude de Melo, e o nome original da empresa era justamente João Tude de Melo.



CORONEL FABRICIANO EM 1960

Duas preciosidades do ano de 1960, registros de ônibus da cidade mineira de Coronel Fabriciano, extraídas do site de meu xará Alexandre Fonseca, o Clube do Ônibus. A primeira foto mostra a atual Av. Tancredo Neves, na referida cidade, e a outra, um ponto final da linha 02 (Melo Viana), com o provável motorista posando ao lado do ônibus das Carrocerias Metropolitana.


CMTC E CAMPUS EM CONSTRUÇÃO

Aqui vemos uma foto, do acervo do Jornal da USP, com o trecho da Cidade Universitária da USP, em São Paulo (SP), ainda em construção em 1964. Diante dela passa um ônibus da CMTC, antiga estatal da capital paulista.

SERRANA

Em Petrópolis, existiram, até meados dos anos 90, as empresas Serrana e Imperial, que eram duas das tradicionais empresas da famosa cidade da região serrana fluminense. As duas empresas foram adquiridas pelo grupo Rio Ita, da famosa empresa gonçalense que, na verdade, nasceu em Itaperuna, e aí foi fundada a Petro Ita.

Só que o grupo Rio Ita, passando por sérias dificuldades financeiras devido ao crescimento exagerado e mal-administrado de seu patrimônio, foi obrigado a tomar várias medidas (como extinguir a empresa Cachoeirense, de Cachoeiras de Macacu e transferir algumas linhas da empresa Rio Ita para a associada Fagundes). Com isso, a Petro Ita foi vendida para o grupo da empresa Master, da Baixada Fluminense.

Recordamos aqui a empresa Serrana, numa foto do acervo de Rafael Xarão e Reginaldo, do site Petro Bus, com a bela Metropolitana Ipanema II, de 1975.

SALÃO DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO EM 1961

Mostramos a foto da primeira edição, de 1960, no mesmo Parque do Ibirapuera. Notem que as kombis, da Volkswagen, um modelo considerado relativamente novo naquela época, tinha as lanternas pequeninas, feito bolinhas. Esse tipo de Kombi é uma raridade hoje em dia, porque os exemplares mais antigos que mais vemos datam do final dos anos 60. Uma curiosidade: no exterior, as kombis também são conhecidas como "Volksbus".


ÔNIBUS DA JABOUR NA MINISSÉRIE 'O BEM AMADO'

Nas notícias sobre a morte da atriz Ida Gomes, em abril de 2009, os telejornais da Rede Globo exibiram uma imagem com as Irmãs Cajazeiras (das quais Ida fez um dos papéis) na então minissérie O Bem Amado, a primeira exibida a cores na televisão brasileira. O sucesso da minissérie foi tanto que, em 1980, tornou-se seriado. Mas isso é outra história, as imagens aqui aparecem porque, no fundo, passou um ônibus da Auto Viação Jabour, dando o ar de sua graça em 1973, quando o Rio de Janeiro ainda era a capital da Guanabara.





PONTE RIO-NITERÓI FAZ 40 ANOS

A Ponte Presidente Costa e Silva, que merecidamente é mais conhecida pelo apelido de Ponte Rio-Niterói, completa 40 anos aguentando muito trânsito e até mesmo ocorrências incômodas e até trágicas (a cantora Maysa, por exemplo, morreu num acidente na ponte). Mesmo sua construção, devido aos acidentes de trabalho, custou a vida de muitos trabalhadores.

Mas ela resiste, um tanto sobrecarregada pelo trânsito intenso que não era previsto na década de 1960, quando a ponte começou a ser construída, mais precisamente em 1967. Hoje a Ponte Rio-Niterói é considerada muito estreita para os padrões de tráfego atuais, mas em todo caso fica a nossa comemoração a essa construção, que há muito se destaca na paisagem da Baía da Guanabara.

Aqui mostramos uma foto, do blogue Grupo Prazer de Jogar Niterói, com o primeiro congestionamento da ponte, na área correspondente ao entorno do pedágio, com os carros indo em direção a Niterói.


GMC COACH

Esta foto de 1947 é do acervo de Roberto Zulkiewicz e mostra uma frota de ônibus GM TDH-4008, chegando de trem à General Motors do Brasil, em São Caetano do Sul (SP), no ABC paulista, para revisão antes de serem entregues aos respectivos fregueses. Estes ônibus GM vieram importados dos Estados Unidos.

CURITIBA LAJES

A empresa Expresso Curitiba Lajes não existe mais, porém há uma foto que provavelmente é de 1955 que mostra um carro da empresa servindo a linha Florianópolis - Lajes. Parece que, apesar do nome, a empresa era catarinense. Foto do acervo de Marcelo Almirante.

SÃO PAULO: AMÉRICO FONTENELLE TENTOU RESOLVER O CAOS NO TRÂNSITO

O coronel carioca Américo Fontenelle foi chamado pelo governador paulista Roberto de Abreu Sodré para o cargo de Diretor do Departamento Estadual de Trânsito, para tentar disciplinar o caótico trânsito de São Paulo. Sua atuação polêmica, por ser por demais enérgica, durou 57 dias.

Na foto do Arquivo OESP (O Estado de São Paulo), de 1967, Américo Fontenelle dá uma de dublê de guarda de trânsito.

Fontenelle foi homenageado com seu nome dado a um terminal de ônibus junto à Central do Brasil, no Rio de Janeiro, com linhas destinadas à Baixada Fluminense.