Pular para o conteúdo principal

RIO DE JANEIRO EM OBRAS PARA O METRÔ, EM 1976

Esta foto mostra o bairro do Catete, em intensas obras para o Metrô carioca, em 1976. O metrô, sabemos, era um projeto do governo Carlos Lacerda que levou um tempo para ser implantado, levou outro tempo com obras, mas depois deu tudo certo, temos Metrô e por aí vai. Agora vamos ver se os soteropolitanos, com um projeto de Metrô mais capenga e mais atrapalhado, vão se dar com o transporte. A cidade de Salvador (Bahia) anda decepcionando o país e o mundo com uma aristocracia provinciana, bairrista e narcisista e uma política, seja de direita ou esquerda (afinal existe esquerda na capital baiana?), que só quer passar uma imagem falsa da Salvador "paradisíaca" que nada influi de concretamente positivo para o povo baiano.

A foto faz parte do acervo de Marcelo Almirante.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ARARUAMA, ORLA DA CIDADE, 1967

Esta foto, publicada no Jornal do Brasil de 20 de outubro de 1967, mostra a orla de Araruama, município da Região dos Lagos banhado pela lagoa do mesmo nome. A área é considerada o portão de entrada da cidade, no caminho entre Saquarema e Iguaba Grande.


SÃO PAULO: PRAÇA CLÓVIS BEVILÁQUA, 1957

Mais uma preciosidade da São Paulo Antiga é a Praça Clóvis Bevilaqua, no bairro da Sé, na capital paulista, no ano de 1957, com seus muitos ônibus fazendo ponto no terminal localizado na área.


AUTOVIÁRIA SANTA LUZIA

Esta foto, originalmente publicada no Jornal Primeira Página e do acervo do pesquisador Gildásio Vieira Freitas, e também enviada por mim ao portal Lexicar (sobre carrocerias de ônibus e outros veículos automotores), mostra um ônibus urbano da CAIO de 1955, da frota da empresa Autoviária Santa Luzia, de Salvador, Bahia.

Consta-se que esta foto, provavelmente de 1959, corresponde a um dos primeiros serviços de linhas distantes que, pouco depois, seriam a ligação da área desmembrada, hoje município de Lauro de Freitas, a Salvador. Ao que parece, é um ramal Portão X Calçada que hoje não existe mais, devido a tantas alterações de percursos causadas pela abertura de novas avenidas.