Pular para o conteúdo principal

RIO DE JANEIRO, GLÓRIA E BAÍA DA GUANABARA, 1909

Essa relíquia faz parte de uma série de fotos em tecnologia Autochrome, feita com amido de batata, e mostra o Rio de Janeiro em um inacreditável registro de 1909, mostrando a vista aérea da Baía da Guanabara, tendo em primeiro plano o bairro da Glória e, ao fundo, a cidade de Niterói.

A foto é da coleção do Museu Albert Khan, em Paris, cujo nome remete ao banqueiro que admirava essa tecnologia, lançada pelos irmãos Lumière - os mesmos pioneiros do cinematógrafo, que hoje conhecemos como cinema - , e vale aqui descrever o texto do pesquisador Alberto de Sampaio, que publicou esta e outras fotos:

"Uma chapa de vidro sobreposta de fécula de batata tingidas de laranja, verde e violeta – uma aproximação das três cores primárias – era inserida na câmera, ficando à frente da chapa com a emulsão em preto e branco. Ao fotografar determinada cena, as informações de cores eram retidas nas partículas de batata e o resto da cena era capturada normalmente em preto e branco. Após o processo de revelação, ao sobrepor ambas as chapas de vidro e iluminando-as por trás, era possível ver uma fotografia colorida.

O processo autochrome assim como a fotografia em preto e branco, também era lento. O tempo de exposição era longo e as pessoas tinham que ficar paradas para evitar um borrão na imagem. Mas o autochrome teve um efeito estético incomum: a foto tinha uma atmosfera nebulosa, parecendo uma pintura".


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SÃO PAULO: VALE DO ANHANGABAÚ, 1953

A foto que vemos é um belo registro da célebre fotógrafa Alice Brill, mostrando filas enormes de espera por ônibus no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, no ano de 1953. As fotos da autora fazem parte do acervo preservado pelo Instituto Moreira Salles.

SÃO PAULO: PRAÇA CLÓVIS BEVILÁQUA, 1957

Mais uma preciosidade da São Paulo Antiga é a Praça Clóvis Bevilaqua, no bairro da Sé, na capital paulista, no ano de 1957, com seus muitos ônibus fazendo ponto no terminal localizado na área.


AUTOVIÁRIA SANTA LUZIA

Esta foto, originalmente publicada no Jornal Primeira Página e do acervo do pesquisador Gildásio Vieira Freitas, e também enviada por mim ao portal Lexicar (sobre carrocerias de ônibus e outros veículos automotores), mostra um ônibus urbano da CAIO de 1955, da frota da empresa Autoviária Santa Luzia, de Salvador, Bahia.

Consta-se que esta foto, provavelmente de 1959, corresponde a um dos primeiros serviços de linhas distantes que, pouco depois, seriam a ligação da área desmembrada, hoje município de Lauro de Freitas, a Salvador. Ao que parece, é um ramal Portão X Calçada que hoje não existe mais, devido a tantas alterações de percursos causadas pela abertura de novas avenidas.