Pular para o conteúdo principal

METROPOLITANA COPACABANA

Nos anos 70, houve uma série de falências de fábricas de ônibus por causa do austero programa econômico do governo do general Emílio Garrastazu Médici. Eram os anos de chumbo, e os mais duros da história recente de nosso país. Carrocerias como Grassi, Eliziário, Massari, Striuli, Cermava, Vieira, Cribia, eram extintas uma a uma. E algumas fábricas absorveram algumas das extintas.

Aqui temos o exemplo da Metropolitana, que aproveitou o visual do modelo 1972 da Cermava para relançá-lo como o modelo Copacabana da Metropolitana, no ano seguinte. A Metropolitana, indústria carioca extinta em 1976, havia adquirido as carrocerias Vieira e Cermava, relançando os respectivos últimos modelos das fabricantes extintas.

Assim, a Vieira era relançada como Metropolitana Novo Rio, e a Cermava, como Metropolitana Copacabana, ambas em 1973. A Metropolitana ainda produziria um novo modelo, o belo Ipanema, que teve duas versões, uma com faróis pequenos, de 1974, outra com faróis maiores, de 1975. Mais tarde faremos uma comparação com ambos.

Aqui vamos ver somente o modelo da Copacabana, retirado de um anúncio de revista de 1973.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SÃO PAULO: VALE DO ANHANGABAÚ, 1953

A foto que vemos é um belo registro da célebre fotógrafa Alice Brill, mostrando filas enormes de espera por ônibus no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, no ano de 1953. As fotos da autora fazem parte do acervo preservado pelo Instituto Moreira Salles.

SÃO PAULO: PRAÇA CLÓVIS BEVILÁQUA, 1957

Mais uma preciosidade da São Paulo Antiga é a Praça Clóvis Bevilaqua, no bairro da Sé, na capital paulista, no ano de 1957, com seus muitos ônibus fazendo ponto no terminal localizado na área.


AUTOVIÁRIA SANTA LUZIA

Esta foto, originalmente publicada no Jornal Primeira Página e do acervo do pesquisador Gildásio Vieira Freitas, e também enviada por mim ao portal Lexicar (sobre carrocerias de ônibus e outros veículos automotores), mostra um ônibus urbano da CAIO de 1955, da frota da empresa Autoviária Santa Luzia, de Salvador, Bahia.

Consta-se que esta foto, provavelmente de 1959, corresponde a um dos primeiros serviços de linhas distantes que, pouco depois, seriam a ligação da área desmembrada, hoje município de Lauro de Freitas, a Salvador. Ao que parece, é um ramal Portão X Calçada que hoje não existe mais, devido a tantas alterações de percursos causadas pela abertura de novas avenidas.