CTC-RJ EM LINHA SAUDOSA, NO ANO DE 1975

Uma das linhas interessantes que existiu no Rio de Janeiro - e que eu (Alexandre Figueiredo) tive o privilégio de pegar, é a linha 230, da Companhia de Transportes Coletivos (CTC-RJ). A linha ligava Boca do Mato à Rodoviária, parando no Terminal Padre Henrique Otte. Passava também por Saens Peña e pela Praça da Bandeira.

Infelizmente muitas linhas funcionais desapareceram porque, supostamente, não tinham demanda. Prevalecem hoje percursos genéricos, que para os moradores de determinados bairros, significam uma boa caminhada só para ir para o ponto de ônibus. Vemos que a 455 Méier / Copacabana, para os passageiros da antiga 442 Lins / Urca, rende uma longa caminhada tanto do Lins para o Méier - a 455 pára no terminal Gelton da Motta, próximo à linha férrea - quanto da Urca para Botafogo (Av. Venceslau Brás). A 606 Rodoviária / Engenho de Dentro até faz quase o percurso da 230, mas não entra no Lins nem na Boca do Mato, e os passageiros têm que apelar para a caminhada.

A linha 230 poderia voltar com pequenas alterações no ramal, talvez indo para a Praça Mauá, por exemplo. A Praça Mauá perdeu linhas para Méier, Madureira e Cascadura, desativadas no fim dos anos 70, e hoje tem que se contentar com uma linha rodoviária para Marechal Hermes e uma linha urbana para a Taquara, que passam por Vila Isabel, neste caso saltando em Grajaú e fazendo aquela caminhada para o Méier. Para os empresários cariocas de ônibus, procissão para as canelas dos outros é refresco. Pensam que todo passageiro tem um pouco de pagador de promessas.

A foto foi extraída do site Zona Norte, é de 1975 (ano da arbitrária con-fusão dos Estados do RJ e Guanabara que só favoreceu realmente generais, políticos, empresários e simpatizantes), embora apresente um ônibus de 1968.


Comentários